Make your own free website on Tripod.com

Auxilio visual para aulas de

Leite – ECONOMIA FINANCEIRA – UFPB: 2000.

 

2.2 -  TEORIA  DA ESCOLHA INTERTEMPORAL

 

1.    Preferência Intertemporal

a)                                         Utilidade da Renda:  A utilidade da renda deriva das oportunidades de consumo que ela proporciona.

b)                                        Função Utilidade: A utilidade da renda é função de sua distribuição intertemporal no presente (P) e no futuro (F):  U = f(Yp, Yf)

 

 

 

 

 

2.    Axiomas da Racionalidade

 

 a) Axioma da Comparabilidade: As pessoas são capazes de comparar valores e quantidades, expressando preferências ou indiferenças:

      1) Se x > y,    então    xPy                      2)  Se x = y,    então xIy

 

b) Axioma da Transitividade:  As preferências ou indiferenças são transitiva, isto é:

    1)  Se xPy   e  yPz  então  xPz    2) Se xIy   e  yIz  então  xIz

 

c) Axioma da Não-Saciedade:  As pessoas preferem uma quantidade maior a um quantidade menor de  bens econômicos, especialmente dotações de renda.

                           Se Yp > Yp’    então  (Yp, Yf)  P   (Yp’, Yf)

 

3.     Comparação de Dotações Intertemporais

 

a) Considerando duas dotações intertemporais de renda, denominadas  A e B, se as rendas presentes de A e B forem iguais e a renda futura de A for maior que a de B, então A é superior a B;

   

b) Considerando duas dotações intertemporais de renda, denominadas C e D, se as rendas futuras de C e C forem iguais e a renda presente de D for maior que a  de  C, então D é superior a C;

     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4. Convexidade

1) Por estar na vertical de B, A está em nível de  utilidade superior  a B 

2) Por estar à direita e na horizontal de C, D tem nível de utilidade superior a  C

3) Para terem níveis de utilidades iguais, os pontos precisam situar-se ao longo de uma curva convexa (pois,  só assim deixam de violar as condições de

    verticalidade e horizontalidade acima  exemplificadas).

 

 

 

 

 

 

 

 

5. Curvas e Mapa de Indiferença

 

a) Curva de Indiferença: Mostra as combinações de renda presente e futura (Yp, Yp) que têm a mesma utilidade. É convexa em relação á origem dos eixos.

 

b) Mapa de Indiferença: Conjunto de curvas de indiferença com utilidade crescente no sentido nordeste..

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


5.1 – Características das Curvas de Indiferença

a) Curvatura representa substituição imperfeita: Em caso de valores iguais,  renda presente é preferível a renda futura. Rho (r) é taxa de preferência

b) Cada ponto na curva representa uma dotação intertemporal de renda. A viagem ao longo da curva mostra que existe um “trade-off”entre Yp e Yf. 

 

5.2 - Características do Mapa de Indiferença:

 

a)  Represente níveis sucessivamente superiores de  utilidade;

b) Individuo preferiria estar na curva mais alta (axioma da não saciedade)

c) A busca da curva mais alta depende da dotação inicial de renda  (nível salarial)

5.3 - Taxa de Substituição Intertemporal

 A curvatura (tangente) da Curva de Indiferença mostra, a cada ponto da curva, a taxa de  troca exigida pelo agente econômico  para transferir renda presente para o futuro e vice-versa:

 

                                           TSYpf = - (1 + r)