Make your own free website on Tripod.com

Auxílios visuais para  o livro:

José Alfredo A  Leite   -   MACROECONOMIA   -  Editora  Atlas, São Paulo, 2000.

 

 

9.3 – Modelo Mundell-Fleming

Interação dos mercados interno e externo

 

 

 Estrutura do Modelo

 

Definição: O MMF é o conjunto composto dos modelos dos mercados do produto, da moeda e de câmbio. Trata do relacionamento entre o  mercado interno, representados pelas curvas IS-LM,  e mercado externo, representado pela curva BP.  Vejamos os modelos individualmente e depois conjuntamente.

 

1 -   Mercado do Produto (Economia aberta)

 

 

1.1 - Definição:  É o modelo explicativo do processo de  determinação da renda nacional  (Y) e dos seus componentes (consumo, investimento, tributação, dispêndio, exportações e importações), sendo composto de :

 

1.2 -  Estrutura:

- Condição de Equilíbrio:                                        Y = C + I + G + X - Z

- Definição da Renda Disponível:               Yd = Y - T

- Postulado do Consumo:                                      C = Co + cYd

- Postulado do Investimento:                                  I = Io - ar

- Postulado do Dispêndio Governamental:          G = G*

- Postulado da Tributação:                         T = To +tY

- Postulado das Exportações:                               X = Xo + xQ

- Postulado das Importações:                                Z = Zo - z’Q + z”Y

- Postulado do Câmbio Fixo:                                 Q = Qo

 

1.3 - Curva IS – Em equilíbrio o modelo determina a curva IS, uma relação inversa entre r, Y que satisfaz equilíbrio no mercado  do produto:

 


Y = (A’/b’) - (a/b’) r

 

onde  

 

A* =  Co-cTo+Io+G*+(Xo-Zo)+(x+z’)Qo

 

b’ =  1-c+ct+z”

 

 

 

 

 

                                                                                 

 

2.  Mercado da Moeda (Economia aberta)

 

2.1 - Definição:  É o modelo explicativo do processo de  determinação da taxa de juros e e dos agregados monetários (M1).

 

2.2 - Estrutura:

- Condição de Equilíbrio                                        Ms = Md

- Composição  da Oferta Monetária:                    Ms = M*/P + BpQo

- Definição da Demanda Monetária:                    Md = Mt + Me

- Postulado da Demanda Transacional:               Mt =  kY

- Postulado da Demanda Especulativa:               Me = Mo - mi

- Regra de Fisher:                                                     i = r + Pe

- Postulado dos Preços Constantes:                    P = Po 

- Postulado do Câmbio Fixo:                                 Q =Qo

- Postulado da Inflação Zero:                                   Pe = 0

 

2.3 - Curva LM – Em equilíbrio o modelo determina a curva LM, uma relação direta  entre r, Y que satisfaz equilíbrio no mercado  da moeda:

 


  r = (M’ - M*/Po)/m + (k/m)Y

 onde

  M’ = Mo - BpQo - mPe

 

 

Observação: A taxa de juros nominal (i)

 é igual à real (r) em virtude da suposição

 de preços constantes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                 

 

 

 

   

 

  1. Mercado do Mercado Externo

 

 

3.1 - Definição:  É o modelo explicativo do funcionamento do mercado externo e da determinação da taxa de câmbio e dos fluxos internacionais de comércio, serviços e capitais.

 

3.2 - Estrutura:

- Condição de Equilíbrio:                                       Sq  = Dq

- Composição da Oferta de Divisas:                    Sq  = X + Ek

- Composição da Demanda de Divisas:             Dq = Z + Sk

- Postulado das Exportações:                               X  =  Xo + xQ

- Postulado das Importações:                                Z  =  Zo - z’Q + z”Y

- Postulado das Entradas de Capitais:                Ek = Eo + k’(r - r*,- DQ/Q)

- Postulado das Saídas de Capital:                      Sk = So - k”(r - r*,- DQ/Q)

 

3.3 - Curva BP – Em equilíbrio o modelo determina a curva BP, uma relação inversa entre r, Y que satisfaz equilíbrio no mercado  externo:

 


  r  = - Uo/k* + (z”/k*)Y

 

  onde 

 

 Uo = Xo-Zo+Eo-So+(x+z’)Qo-k*( r-r,*-DQ/Q)

z”/k*

 
 


 e k* = k’+ k”

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

4.- Modelo Conjunto (Mundell-Fleming)

 

 

4.1 -  Definição:  O modelo Mundell-Fleming é um modelo integrado que reune o mercado interno (modelo IS-LM) e o mercado externo (Cuva BP) e explica o relacionamento da economia nacional com a economia externa.

 

4.2 - Estrutura:  Considerando que os modelos individuais dos mercado do produto, da moeda e do câmbio já foram apresentados, o Modelo Mundell-Fleming pode ser representado pelas três equações estruturais (reduzidas) que os representam:

 

Curva IS :  

 Y = (A’/b’) - (a/b’) r  

 

Curva LM:  

 r = (M’ - M*/Po)/m + (k/m)

 

Curva BP:  

 r  = - Uo/k* + (z”/k*)Y

 

4.3 - Equilíbrio.

As Curvas IS e LM representam o equilíbrio interno.  A Curva BP representa do equilíbrio externo. A economia somente estará em equilíbrio estável se houver

equilíbrio interno e externo. Essa situação é descrita pelo ponto de cruzamento

das três curvas.

 

4.4 – Desequilíbrio:

Considerando que  as Curvas IS-LM sempre tenderão ao equilíbrio no ponto

de cruzamento, a economia poderá estar em desequilíbrio externo (déficit ou

superávit) dependendo dos níveis da renda e taxa de juros internas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


            (taxa baixa, renda alta )                         (taxa alta, renda baixa)

 

5. Ajustamento Automático

 

5.1 – Estabilidade do equilíbrio: Da mesma como  a economia nacional tende automaticamente ao equilíbrio interno através dos ajustamentos de taxa de juros e da  renda nacional, tenderá também ao equilíbrio externo mediante ajustamentos do estoque de moeda, das reservas e dívida externa  e da taxa de câmbio real.

 

5.2 – Déficit Externo (Bp<0):

(X + Ek) < (Z + Sk): A saída de divisas é maior do que a entrada.

 

 

Mecanismos de Ajustamento:

a) Ajustamento com câmbio livre:

Com câmbio livre, a taxa de câmbio (Q) se eleva,  ajustando estimulando as entradas e reduzindo as saídas de divisas, e eliminando o desequilíbrio externo. Graficamente, a Curva BP se desloca em  direção ao equilíbrio interno.

b) Ajustamento com câmbio fixo:

Com câmbio fixo (isto é, sem alteração de Qo), as reservas são vendidas para cobrir o déficit, reduzindo a oferta monetária  (Ms) e elevando a taxa de juros. Graficamente a curva LM se desloca em direção equilíbrio externo (curva BP).

c) Ajustamento simultâneo:  Com a economia funcionando livremente,  os dois mecanismos de ajustamento funcionarão simultaneamente, elevando a taxa de

juros e reduzindo a renda nacional. Graficamente as Curvas BP e LM se aproximam um da outra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 


 

5.2 – Superávit  Externo (Bp>0):

(X + Ek) > (Z + Sk): A entrada  de divisas é maior do que a saída.

 

 

Mecanismos de Ajustamento:

a) Ajustamento com câmbio livre:

Com câmbio livre, a taxa de câmbio (Q) cai,  desestimulando as entradas e aumentando as saídas de divisas, e eliminando o desequilíbrio externo. Graficamente, a Curva BP se desloca em  direção ao equilíbrio interno.

b) Ajustamento com câmbio fixo:

Com câmbio fixo (isto é, sem alteração de Qo), os saldos de divisas elevam as  reservas, aumentando a oferta monetária  (Ms) e reduzindo a taxa de juros. Graficamente a curva LM se desloca em direção equilíbrio externo (curva BP).

c) Ajustamento simultâneo:  Com a economia funcionando livremente,  os dois mecanismos de ajustamento funcionarão simultaneamente, reduzindo a taxa de

juros e elevando  a renda nacional. Graficamente as Curvas BP e LM se aproximam um da outra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

                                                                                                         

                                                                                                                                                                                                                               

 

                                                                                                                     

 

                                                                                                                                             

           

                                                                      

 

 

 

6. Política Econômica

 

6.1 Opções: O Modelo Mundell-Fleming revela a existência de diversas opções de política econômica para obtenção do equilíbrio externo. Os políticas são de ordem ortodoxa (fiscal, monetária, cambial) e hererodoxa (tabelamentos, incentivos, tarifas,etc).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


6.3 – Avaliação:

a) Política Econômica: Os casos acima mostram que é fácil corrigir um superávit externo, pois,  para tanto basta aumentar as importações, mediante expansão da demanda interna, mediante aumentos dos gastos públicos e  expansão  monetária,  ou eliminar o superávit externo mediante valorização da taxa de câmbio a fim de reduzir as exportações e  estimular  as importações.

a)       Efeitos colaterais: Como sempre acontece em economia, a política econômica tem efeitos colaterais nem sempre aceitáveis. No primeiro caso ilustrado,  o custo das políticas utilizadas é o aquecimento da economia e a inflação; no segundo caso, o custo é a recessão econômica e o aumenteo do desemprego.

 

 

 

 

 

                                  

  

7. A suposição de Preços Constantes

 

7.1 - Suposição Preços Constantes - Até o momento, estamos trabalhando com o Modelo Mundell-Fleming sob a irrealista suposição keynesiana de preços constantes. Vejamos o que acontece se essa suposição for abandonada.

 

 1) Curva IS:     Y = (A’/b’) - (a/b”) r  

                            onde           A* =  Co-cTo+Io+G*+(Xo-Zo)+(X+z’)Qo

                                

2) Curva LM:    r = (M’ - M*/Po)/m + (k/m)Y

                            onde M’ = Mo - BpQo - mPe

 

3) Curva BP:     r  = - Uo/k* + (z”/k*)Y

                            onde Uo = Xo-Zo+Eo-So+(x+z’)Qo-k*( r*+DQ/Q)

 

7.2 - Efeitos das Variações: Observa-se que o nível de preços (Po) aparece no coeficiente linear das três curvas diretamente ou através da definição da taxa de câmbio real Qo, onde

 

            Q = (R$/U$)(Pe/Po)

 

            Portanto, um aumento no nivel de preços ( P ) provoca os seguintes efeitos:

 

1) No  mercado do produto, provoca queda da taxa de câmbio real (Qo) , desestimulando as  exportações e estimulando as importações, contraindo  a Curva IS;

2) No mercado da moeda,   provoca redução da oferta monetária,  contraindo a Curva LM;

3) No mercado externo,  provoca a queda da taxa de câmbio real, provocando

    déficit do balanço de pagamentos, e deslocando a Curva BP para trás;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


O resultado líquido do aumento do nível de preços (P), no caso ilustrado, foi a contração do equilíbrio interno e externo (de a para b), com  redução do nível da renda nacional (Y) com a manutenção do nível da taxa de juros.